FacebookPixel
Principais notícias e artigos sobre o sector imobiliário em Portugal e na Ilha da Madeira
Voltar \ “Há demasiados agentes imobiliários”

“Há demasiados agentes imobiliários”

04 mar 2020
“Há demasiados agentes imobiliários”
Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal insiste na premência da autorregulação e na criação de uma Ordem com competências para formar, fiscalizar e sancionar os operadores que atuam ilegalmente no mercado.
Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal insiste na premência da autorregulação e na criação de uma Ordem com competências para formar, fiscalizar e sancionar os operadores que atuam ilegalmente no mercado.

Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), defende que está na altura, de “uma vez por todas”, de discutir a autorregulação do setor e desafia o Estado a aproveitar esta oportunidade.

“Há demasiados agentes no setor e o acesso à profissão está demasiado facilitado. A classe tem de estar preparada porque o imobiliário não vai estar sempre na maré de cima. Já passei por um ciclo muito complicado e sei bem a importância de sermos autorregulados, até para enfrentar as crises”, afirma.

O porta-voz dos imobiliário é apologista da transição da APEMIP para uma Ordem ou Câmara dos Mediadores Imobiliários, com competências para formar, fiscalizar e sancionar, incluindo com perda de licença para exercer “os operadores que atuam ilegalmente no mercado, denigrindo, por vezes, a imagem do setor”. Para Luís Lima este é um passo que deve ser dado em parceria com o Governo.

“O Estado, que é o principal interessado nisto, não tem capacidade para fiscalizar todas as empresas do País. Por isso, deveria acarinhar esta oportunidade”, defende Luís Lima, citando um estudo feito pela APEMIP, que revelou que 90% das empresas associadas querem a autorregulação.
 
Descida abruta de preços
“Os preços não podem subir até ao céu”, alerta Luís Lima, cujo receio é que o abrandamento dos preços, que já se vai verificando, se torne “numa descida tão grande que leve ao colapso de determinadas entidades”. Na opinião do líder da APEMIP, Portugal não está preparado para enfrentar uma descida vertiginosa dos valores das casas, embora alguns sinais revelem já esse perigo.

Para além das constantes mexidas legislativas no setor, que podem provocar recuos no investimento externo e os preços exorbitantes. Luís Lima acredita que o facto de o setor da construção se ter direcionado, nos últimos anos, para a classe média e alta, vai levar, “mais tarde ou mais cedo”, ao excesso de habitação.

Por outro lado, diz, “houve muita gente que investiu pensando em negócios puramente especulativos. Isso pode ser muito complicado, porque o colapso dessas entidades pode-nos prejudicar a todos”. A este cenário acrescem ainda as preocupações com as mobiliárias, cujo crescimento foi, nos últimos anos, exponencial. “As imobiliárias são o barómetro do setor, quando está para cima, crescem as empresas. Quando está para baixo, começam a fechar que nem cogumelos”, constata Luís Lima, revelando-se preocupado.
 
Um bom momento para vender casa?
“Colocar o preço certo na venda é fundamental. Não pensem que tudo o que está no mercado vale ouro. Zonas que há uns anos, ninguém dava nada por esses ativos, agora as pessoas pensam que descobriram o petróleo. Não há nenhuma justificação para estes preços, portanto, tenham cuidado. Há uma oportunidade neste momento para renovar as cidades, para muita gente fazer o seu aforro, mas a ganância pode ter graves consequências”.
 
“Muita gente que investiu pensando em negócios puramente especulativos. Isso pode ser muito complicado. O colapso dessas entidades pode-nos prejudicar a todos”.
 
Fonte: JM Economia

Se procura casa ou imóvel na Ilha da Madeira, a Quali pode ajudá-lo. De terrenos a moradias, apartamentos ou lojas, temos uma variada oferta e um serviço de excelência para satisfazer os seus desejos. Fale connosco ou consulte os nossos imóveis aqui.
Veja Também
  • Vistos Gold só na Madeira, Açores e no interior do país 19 fev 2020
    Geral
    Vistos Gold só na Madeira, Açores e no interior do país
    A limitação da concessão dos “vistos Gold” aos investimentos imobiliários em municípios do interior ou das regiões autónomas dos Açores e da Madeira foi aprovada, em função do novo Orçamento do (...)
  • Viver na Madeira 02 set 2019
    Geral
    Viver na Madeira
    Situado entre a Costa Africana e o Continente Português, o Arquipélago da Madeira, pela sua situação geográfica, apresenta um clima de características sub-tropicais com temperaturas amenas ao longo (...)
  • FIM DE ANO NA ILHA DA MADEIRA 27 dez 2019
    FIM DE ANO NA ILHA DA MADEIRA
    Se há lugar em que se celebra a vida, esse lugar é na Ilha da Madeira. No final de cada ano comemora-se o fim de mais um ciclo de 365 dias vividos tão intensamente quanto a memória permite.